Revista Brasileira de Sociologia da Emoção

Por Administrador 13 Marzo, 2011

A Revista Brasileira de Sociologia da Emoção é uma publicação eletrônica do GREM e tem como objetivo estimular a discussão e mapear os estudos e as pesquisas sobre a temática no Brasil e, também, no exterior. A RBSE é uma publicação quadrimestral, com números lançados nos meses de abril, agosto e dezembro de cada ano.

Esta publicação surge em um momento de reflexão das Ciências Sociais no Brasil quando a questão da emoção passa a ganhar um expressivo vigor nas análises e pesquisas sociais. A RBSE tem a intenção de realizar um mapeamento das direções seguidas pelas pesquisas e reflexões brasileiras e mundiais que enfocam esta temática. Busca, também, fazer o registro das inquietações de uma parcela de pesquisadores brasileiros sobre a complexidade das relações entre indivíduo e sociedade, tendo como elemento de análise a emoção social.
As discussões sobre a relação indivíduo e sociedade e sobre a objetividade e subjetividade na análise do social permeiam as Ciências Sociais desde a sua mais tenra formação. Em ambas as discussões, a questão da emoção perpassa como um dos elementos a ser negado ou evidenciado. Durkheim em toda a sua obra se debate com a questão da emoção, tentando descaracterizá-la do debate no interior da psicologia e traze-la para a luz do entendimento e da explicação sociológica. Mas é principalmente nas Formas Elementares da Vida Religiosa que discute o elemento simbólico do processo de construção social à luz de uma teoria do conhecimento, e coloca as emoções como um processo social, seguindo os passos de Marcel Mauss, sobrinho e guardião de seu arquivo e obra, no artigo As Expressões Obrigatórias do Sentimento.

A questão da emoção é também trabalhada por Simmel, quando discute o crescimento da intimidade no processo de formação do indivíduo moderno, e também por Weber quando aprofunda as reflexões sobre o processo de burocratização da sociedade moderna e as conseqüências ideológicas do desencantamento do mundo na sociedade capitalista em constituição e consolidação. Nos dois autores, a subjetividade, enquanto processo de conhecimento e compreensão das relações sociais, se faz presente, e a emoção, enquanto valor e portadora de sentidos, é analisada como fundamento importante da ação social.

Mais contemporaneamente, Elias, Sennett, toda uma escola de interacionistas simbólicos nos Estados Unidos e uma parcela significativa da Escola de Frankfurt, trabalharam com a questão da emoção, seguindo de perto uma discussão importante da relação indivíduo e sociedade na configuração do constructo social da modernidade ocidental. Entre os cientistas sociais da atualidade, Anthony Giddens, Thomas Scheff, Evelin Lindner, Ian Burkitt, Van Krieken, Anne Ralws, entre outros, vem trabalhando a questão da emoção como um elemento importante na compreensão do processo de construção social.

A partir do final da década de noventa do século XX, parece ter havido uma abertura significativa ao trabalho com o conceito de emoção e com o enfoque da subjetividade nas análises das Ciências Sociais no Brasil. Inúmeros autores orientaram suas reflexões e trabalharam, sistematicamente, com a questão da emoção nas pesquisas sociais. A pesquisa e as reflexões sobre a Sociologia das Emoções no país, contudo, parece ser um campo ainda em definição, sem fronteiras delimitadas.

Os pesquisadores caminham, ao que parece, ainda, sem muita clareza. Dedicam-se, às vezes, a aspectos estritamente relacionados à problemática da linguagem da emoção na produção das narrativas e do discurso científico e, outras vezes, valem-se das configurações das emoções como simples ilustração dos depoimentos dos informantes ou como elementos adicionais na captação do real trabalhado. Formas amplas e limites que poderão servir de anteparo para as discussões e reflexões que a RBSE pretende ceder espaço e lugar.

A necessidade de sistematizar os trabalhos desenvolvidos e em desenvolvimento na Sociologia das Emoções no Brasil e no mundo é um dos elementos estimuladores dos que fazem a RBSE, em busca de consolidação deste campo de estudo no país. A RBSE pretende, assim, ser um veículo de intensificação e sistematização das discussões, pesquisas e reflexões teóricas e metodológicas e na busca de uma definição conceitual mais rigorosa entre os profissionais que atuam com a pesquisa em Emoção e Ciências Sociais.

A RBSE espera também possibilitar uma caminhada mais segura e uma delimitação de fronteiras, mesmo que sempre provisórias, que sirvam de parâmetro para pesquisadores e estudiosos da questão e estimulem e acelerem a consolidação da Sociologia das Emoções no Brasil. Ao mesmo tempo, pretende fornecer espaço para um amplo debate sobre a questão da emoção em um contexto mais interdisciplinar.

Mauro Guilherme Pinheiro Koury (editor)
Visite o site da RBSE

Deja una respuesta